Você sabe como colocar preço no seu produto?

Por: Amanda Paz – Funny Amandita (a autora permite cópia deste post, desde que citada a fonte e anexado um link para essa página).

PARTE 1 – INTRODUÇÃO

Definir o preço de um produto, para muitas artesãs, parece ser uma tarefa fácil. Afinal, basta multiplicar por 2 o que se gasta com o material e se tem um lucro de 100%. Não é bem por aí. Se você colocar no papel, tim-tim por tim-tim, tudo o que gastou para produzir uma peça, verá que a conta não bate. Isso porque o que se gasta com material é apenas parte das despesas que o produto esconde. E quais são as outras?

preco-de-venda-destaqueBem, existe uma gama de despesas que devem ser consideradas ao se definir o preço de um produto e outra série de cálculos para se chegar ao valor final do mesmo. Entretanto, alguns desses cálculos são muito complexos para serem utilizados no nosso ramo de trabalho: artesanato em pequena e média escala. Por isso, o modelo que irei expor aqui é o que eu costumo utilizar, após ter experimentado alguns tantos que aprendi na universidade e em cursos de empreendedorismo que fiz no Sebrae.

Para começar, é bom manter sempre à mão uma planilha caderno para anotar e atualizar todas as informações sobre cada produto que faça parte do seu mix (toda a gama de produtos ofertados, por você, ao seu cliente): que materiais são usados e em que quantidade, quanto tempo gastou para fazer cada peça (ou encomenda); quem são seus fornecedores (é bom ter mais de um para se garantir); quais os produtos mais procurados e em que época do ano vendem mais etc.

Afinal, antes de definir o preço do seu produto, você precisa conhecê-lo muito bem. Como diz a sábia frase “só podemos controlar aquilo que conhecemos”. Conheço uma porção de pessoas que, talvez por desconhecimento, cobram valores irrisórios pelo seu trabalho ou cedem aos apelos do cliente e baixam o preço do produto. Esse tipo de equívoco não apenas é ruim para a própria pessoa como para o mercado do artesanato, como um todo, que acaba sendo desvalorizado.

01.Abertura-copy

Foi pensando nas dúvidas e dificuldades por que passam muitas artesãs de primeira viagem no momento de definir o preço de seus produtos que tive a ideia de escrever esse post, aliás, posts. Por mais simples que seja a forma como pretendo abordar o assunto, é difícil limitá-lo a uma única publicação, sem deixá-la cansativa e maçante.

Espero poder contribuir para que, de uma vez por todas, você, minha amiga arteira, perca o medo de atribuir ao seu trabalho o o valor que ele merece e perceba que o trabalho artesanal é único e laborioso e, por isso deve ser respeitado. Pense! se você própria não valoriza o que faz, quem o fará?

Não perca os próximos episódios posts. Ah! e não deixe de compartilhar conosco suas experiências. Elas, certamente, serão muito enriquecedoras para estas nossas conversas. Beijos e até o próximo encontro.

Leia as outras postagens sobre o assunto, clicando nos links abaixo:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s